top of page
Buscar
  • Foto do escritorVirtual Connection

Hacker do bem existe? Quem são eles e como ajudam empresas e a Segurança da Informação?

Atualizado: 14 de set. de 2023

Quando se fala em Hacker, a reação imediata da maioria dos empreendedores e gestores de Tecnologia da Informação e Segurança da Informação é sentir aquele frio na espinha. Crimes cibernéticos e ataques a sistemas corporativos são responsáveis pela maioria das crises de imagem e confiança das organizações.

Combater esse perigo usando fogo contra fogo? Sim. Vamos apresentar os hackers do bem, profissionais que podem contribuir para o manter os 3 pilares da Segurança da Informação, confidencialidade, integridade e disponibilidade de sistemas e redes de uma empresa. Confira!


Homem programando no computador

Quem são os hackers do bem ou os Ethical Hackers?

Para entender melhor o que significa usar um hacker profissional para o bem, podemos fazer uma analogia simples com as vacinas: a forma mais efetiva de combater um vírus no nosso organismo é prepará-lo para lidar com a ameaça em uma situação controlada.

No caso das vacinas, uma porção inócua do próprio vírus é injetada na corrente sanguínea, dando ao sistema imunológico a chance de aprender como combatê-lo quando sua versão realmente nociva conseguir entrar no corpo.

A mesma coisa acontece quando uma empresa conta com os hackers do bem, também chamados de “Hackers Éticos” ou “White Hats” ou “Ethical Hackers”.

A função desse profissional é realizar análises e ataques controlados a servidores e sistemas corporativos em busca de brechas de segurança. Com essas falhas identificadas, a TI pode corrigi-las antes que um ataque hacker de verdade se aproveite desse método. Atualmente, a profissão é muito valorizada, existindo várias certificações para a profissão, uma das mais valorizadas é a da


Hackers costumam ser mostrados como indivíduos antissociais, trancados dentro de um quarto escuro, em frente a uma tela repleta de códigos que só eles entendem, praticando crimes e chantageando pessoas. Porem essa não é toda a verdade…

Um hacker pode ser definido como qualquer indivíduo que tenha um profundo conhecimento e curiosidade sobre determinada coisa ao ponto de mudar o comportamento esperado daquilo.

Por exemplo, uma página web com um campo para que se digite um nome, mas que ao digitar uma outra informação, um comportamento não previsto pelos programadores ocorra.


Segurança digital

Logo, hackear, em termos de informação, é usar o conhecimento sobre tecnologia e programação para entender um sistema ou aplicação e buscar as vulnerabilidades que possam ser exploradas.

Entretanto, a diferença que a maioria das pessoas não conhece, é que existem dois tipos de hackers. Eles podem ser conhecidos como hackers e crackers, ou podem ser simplesmente chamados de hacker do bem e hacker do mal.

O hacker do mal você já conhece – ele foi descrito acima. O nome mais adequado para eles é cibercriminosos, que utilizam do seu conhecimento para cometer crimes.

Normalmente aparecem na mídia associados a notícias de fraudes, chantagem e sequestros digitais, causando prejuízos financeiros e danos a pessoas e empresas.

Já o hacker do bem, entretanto, vem ganhando cada vez mais espaço. A grande diferença entre ele e o hacker do mal está no que ele faz com seu conhecimento.

O hacker do bem – o profissional de cibersegurança – usa o seu conhecimento para proteger os dados e informações que estão em programas, softwares, bancos de dados e aplicativos.

Ele busca pelas vulnerabilidades das empresas e reporta suas descobertas, para que essas corporações e instituições corrijam suas aplicações tornando-as mais seguras.

Inclusive, a maioria das empresas que utilizam tecnologia em suas atividades críticas, contratam hackers do bem para defendê-las profissionalmente.

Por isso, o profissional em cibersegurança é um dos mais disputados do mercado, pois cada vez mais sistemas tecnológicos são responsáveis por organizar e simplificar diferentes áreas da vida das pessoas – desde aplicativos de compras até robôs que realizam cirurgias delicadas.

E para ser um desses profissionais, você deve buscar uma formação de qualidade e com foco prático para o mercado de trabalho.

Os únicos requisitos para você se tornar hacker do bem são: curiosidade e gosto por aprender constantemente. Por isso, se você reconhece essas características, saiba que pode se tornar um hacker do bem!

Praticar hacking do bem (ou, ethical hacking) significa ter um papel social importantíssimo e cada vez mais valorizado.

Você testará os mais diversos tipos de sistemas tecnológicos para descobrir vulnerabilidades e corrigir ou alertar o desenvolvedor responsável para que essas falhas sejam resolvidas antes de impactar a vida de milhões de pessoas.


Referências:


CURSOS FREE POR TEMPO LIMITADO

➡ Kali Linux Command Line Hands-On


➡kali linux – Instalação VM


➡ Ethical Hacking com Parrot Security OS (no Kali)


➡Ethical Hacking - Kali Linux Fundamentals


➡Ethical Hacking - Básico (Kali)


➡Análise de dados em Python com Pandas


Apresentação especialista Francis

Conheça mais do Francis no Linkedin:



109 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page